Síndrome de abstinência

Síndrome de abstinência

É um conjunto de sintomas, de agrupamento e gravidade variáveis que ocorrem pela abstinência absoluta ou relativa a substâncias dependentes como por exemplo o álcool, drogas.

Quando a pessoa fica por alguns dias ou semanas, longe das drogas, ou de outras substâncias viciantes, os indivíduos muitas vezes experimentam sintomas agudos de abstinência. A gravidade desses sintomas pode variar de pessoa para pessoa e geralmente depende de qual substância a pessoa estava viciada. Uma vez que os sintomas agudos de abstinência diminuem, a Síndrome de Abstinência pode se instalar.

Sintomas da Síndrome de Abstinência?

A Síndrome de Abstinência, pode ser uma grande barreira para muitos que buscam a recuperação do vício. Os sintomas envolvidos na Síndrome de Abstinência, podem variar e dependem de muitos fatores, como o tipo de dependência, tamanho físico e sexo e saúde geral e pode durar de seis meses a dois anos após a pessoa parar de usar a substância.

Os sintomas comuns incluem:

  • Irritabilidade, agressão ou hostilidade
  • Depressão, tristeza e ansiedade
  • Mudanças de humor com altos e baixos severos
  • Energia baixa
  • Fadiga ou insônia
  • Névoa do pensamento
  • Capacidade limitada de foco
  • Falta de interesse em sexo
  • Dor crônica

Causas

Embora a maioria das drogas recreativas, e até mesmo o álcool, possam causar os sintomas, algumas drogas são mais propensas a desencadear a Síndrome de Abstinência do que outras.

As causas incluem:

  • Maconha: Parar de usar maconha pode causar insônia e se não for tratada desenvolver a Síndrome de Abstinência.
  • Cocaína: Durante semanas e até meses depois de ficar sóbrio, sintomas prolongados de controle de impulsos e depressão são possíveis entre aqueles que se recuperam do vício em cocaína.
  • Metanfetamina: Para aqueles que se recuperam do vício em metanfetamina, as funções de controle de impulsos são inibidas, às vezes por anos.
  • Opiáceos: Após a cessação do uso de opiáceos, as pessoas podem apresentar sintomas de Síndrome de Abstinência por meses, incluindo insônia, ansiedade, depressão e diminuição do controle dos impulsos.
  • Benzodiazepínicos: Como muitas pessoas recebem uma prescrição de benzodiazepínicos para condições como depressão ou ansiedade, acabar com essa dependência pode ser particularmente difícil. Parar de tomar a medicação, os sintomas de ansiedade podem retornar, assim como os sintomas da Síndrome de Abstinência, que também podem piorar o problema inicial. Muitas pessoas experimentarão ataques de pânico ou extrema ansiedade ou insônia durante o período de abstinência. A recuperação dessa dependência geralmente requer supervisão significativa de um terapeuta ou médico.

Quanto tempo dura a Síndrome de Abstinência?

Infelizmente, não há um cronograma definido de quanto tempo durará. É muito dependente da substância abusada, da duração do vício e da saúde física do indivíduo. Algumas pessoas podem apresentar sintomas mínimos de abstinência que podem durar dias ou apenas algumas semanas; outros continuarão a sentir sintomas por anos.

Embora o Síndrome de Abstinência possa ser grave, pode ser controlado com supervisão profissional e intervenção médica. O acesso a recursos como grupos de apoio, terapia ou algum medicamento, como o Acamprosato, que é frequentemente usado para tratar pessoas com dependência de álcool, prescrito e monitorado por um médico, pode ajudar a mitigar o pior dos sintomas. Isso pode permitem que você volte à vida normal, mesmo que você enfrente a retirada.

Cuidados personalizados e suporte de longo prazo de especialistas em dependência e familiares podem ajudar significativamente na recuperação. A terapia pode ajudar as pessoas a gerenciar os sintomas de abstinência à medida que ocorrem e permanecer em recuperação sem recaída.

Embora os sintomas de abstinência, possam ser duradouros e graves, vale a pena trabalhar para alcançar a recuperação. Se você ou alguém que você ama está enfrentando problemas de dependência, é importante consultar um médico ou terapeuta.

One comment

  1. Boa tarde, excelente artigo bem elaborado e sem rodeios, uma ótima ferramenta para aprimorar o conhecimento de profissionais da saúde mental.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.