Edema Agudo de Pulmão

O Edema Agudo de Pulmão (EAP) é um aumento súbito na pressão dos capilares pulmonares, levando ao extravasamento de líquido para os alvéolos, deixando o pulmão menos elástico e com menos superfície de contato para troca de gases, manifestando-se por dificuldade respiratória. 

É um quadro clínico crítico, decorrente da incapacidade do ventrículo esquerdo em bombear o sangue para válvula aórtica, cau-sando um acúmulo de líquido nos pulmões.

Etiologia:

Numerosas patologias cardiovasculares predispõem o aparecimento do EAP, como insuficiência coronariana (angina e IAM), crise hipertensiva, as arritmias cardíacas , as infecções , a anemia, a hiper hi-dratação e a intoxicação digitálica.

Fisiopatologia:

A pressão capilar pulmonar excede à pressão coloidosmótica do plasma com transudação alvéolo – intersticial a exemplo da Insuficiência ventricular esquerda aguda ou crônica descompensada, es-tenose mitral ou hipervolemia.A pressão capilar normal é de 8 mmHg. No EAP vai a 25 – 30mmHg.

Manisfestações Clínicas:

– Dispnéia e tosse, produzindo um escarro espumoso e tingido muitas vezes de sangue ( aspecto rosa-do),taquicardia, pele cianótica, fria e úmida, inquietação e ansiedade.

Tratamento:

Morfina, diuréticos e digitálicos

* Cuidados de enfermagem

É fundamental que a equipe de enfermagem mantenha-se ao lado do cli-ente, demonstrando segurança e monitorando os aspectos essenciais para que o mesmo saia da crise rapidamente. Esta ação garante a eficiência e eficácia da terapêutica que está baseada nos seguintes aspectos:

– Manutenção de seu conforto, colocando-o em posição elevada para diminuir o retorno venoso e propiciar uma máxima expansão pulmonar;

– Monitorização dos sinais vitais;

– Administração de oxigenoterapia e de medicações (opiáceos, diuréticos e digitálicos);

– Manutenção de via venosa pérvia com gotejamento mínimo, evitando sobrecarga volêmica;

– Monitorização do fluxo urinário.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.