Consenso Brasileiro de Cuidado da Pessoa com Estomia da SOBEST

Associação Brasileira de Estomaterapia (SOBEST) lança o 1º Consenso Brasileiro de Cuidado da Pessoa com Estomia em evento virtual dia 16/11 e inscrições já estão abertas.

No Dia Nacional dos Ostomizados, SOBEST promove evento virtual para disponibilizar documento essencial para que profissionais e gestores da saúde, em especial enfermeiros estomaterapeutas, ofereçam um atendimento de excelência às pessoas com estomias de eliminação.

Com rigor científico e aval dos mais importantes especialistas do país, a Associação Brasileira de Estomaterapia (SOBEST) lança no dia 16 de novembro, Dia Nacional da Pessoa com Estomia, o 1º Consenso Brasileiro de Cuidado às pessoas adultas com estomia de eliminação. Ele traz todo o detalhamento a ser seguido nas assistências pré-operatória, intraoperatória e pós-operatória a quem faz uma cirurgia de estomia, se tornando fundamental para profissionais de saúde em busca do melhor aperfeiçoamento e atualização profissional por meio da prática clínica baseada em evidência científica. O lançamento virtual será às 20h e as inscrições gratuitas já estão abertas no site http://mail.coloplast.com/ConsensoBrasileiro. 

Estão confirmadas as participações de renomado(a)s estomaterapeutas do País e representantes de associações e empresas ligadas a pessoas com estomia:  

Drª Sônia Regina Pérez Evangelista Dantas (Professora Doutora e atual presidente da SOBEST)

Drª Maria Angela Boccara de Paula (organizadora do Consenso e membro da SOBEST)

Dr Juliano Teixeira Moraes (Professor Doutor e organizador do Consenso e membro da SOBEST)

Drª Vera Lucia Conceição de Gouveia Santos (ícone da estomaterapia nacional e internacional e revisora técnica do Consenso)

Ana Patrícia Cerqueira Greco (uma das juízas do Consenso e Estomaterapeuta referência no estado da BA)

Patrícia Rosa da Silva (responsável por um grande polo de atendimento à pessoa com estomia de MG)

Ana Paula Baptista (presidente do Movimento Ostomizados BR)

Antônio de Souza Amaral (presidente da Associação Brasileira de Estomizados)

Luiz Augusto Tavares (Diretor da Coloplast do Brasil)  

A proposta do Consenso é melhorar o padrão de cuidado das pessoas com estomia e trazer evidências científicas que ajudem a criar processos de reabilitação, autocuidado e acompanhamento, garantindo qualidade de vida, socialização, segurança e minimizando riscos e complicações. “É um momento histórico: este é o primeiro consenso nacional que tem o objetivo principal de subsidiar profissionais e instituições de saúde para uma assistência de excelência na área de estomaterapia e espera-se também que seja um documento fundamental para subsidiar as políticas públicas destinadas às pessoas com estomia de todo Brasil”, revela a Drª Sônia Dantas, Presidente da SOBEST na gestão 2021-2023.  

A produção do consenso foi coordenada pela Profa Dra Maria Ângela Boccara de Paula (ex-presidente da Sobest, gestões 2015- 2017 e 2018- 2020) e pelo Prof. Juliano Teixeira Moraes (Diretor do Departamento de Educação da Sobest). O desenvolvimento contou com a participação de profissionais de diversas instituições: Universidade de São Paulo, Hospital São Rafael de Salvador, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Universidade Federal de Minas Gerais, Universidade de Pernambuco, Universidade Regional do Cariri, Universidade Estadual do Ceará, Hospital do Servidor Público Estadual/SP IAMSPE, Universidade Tuiuti do Paraná, PUC-Campinas e Universidade Estadual do Piauí.  

A dinamarquesa Coloplast (desde 1999 no Brasil) — cujo negócio é focado na área de "Intimate Healthcare", com produtos para usuários que precisam de cuidados especiais com estomias, incontinência, tratamento de feridas e urologia — apoiou o desenvolvimento do Consenso. Após o lançamento, a Coloplast abrirá inscrições para aulas virtuais sobre o Consenso, através da plataforma do Coloplast Professional, projeto educacional voltado para profissionais envolvidos no cuidado destes usuários e interessados no que há de mais atualizado e avançado na área de estomaterapia. "Apoiamos o projeto de maneira ética e transparente, sem exercer qualquer interferência no processo de votação e definição das declarações. Nosso interesse é promover todas as condições para que a melhoria de cuidados a quem tem um estoma seja concretizada e ninguém melhor do que a Sobest para levar isso adiante", reforça Luiz Tavares, diretor geral da Coloplast do Brasil.

O 1º Consenso Brasileiro de Cuidado às pessoas adultas com estomia de eliminação traz as seguintes categorias:  

ASSISTÊNCIA PRÉ-OPERATÓRIA

– Demarcação da estomia  

ASSISTÊNCIA INTRAOPERATÓRIA

ASSISTÊNCIA PÓS-OPERATÓRIA

– Imediata

– Mediata

Assistência clínica

Autocuidado

Tardia

Assistência clínica

Educação para o autocuidado

Cuidados com o equipamento coletor e produtos adjuvantes

Cuidados com a pele periestomia

Escolha do equipamento coletor e produtos adjuvantes

Controle intestinal

 Aspectos nutricionais

Atividade física

 Atividade laboral

 Aspectos emocionais

 Aspectos sociais

 Sexualidade  

Mais de 230 publicações científicas revisadas deram origem a 200 declarações do Consenso  

A elaboração do consenso foi dividida em quatro fases: revisão sistemática da literatura, construção das declarações de consenso, validação das declarações de consenso e revisão técnica. Para a revisão sistemática, foram formuladas questões clínicas pertinentes, utilizando a estrutura PICOS (população, intervenção, comparação, objetivo clínico e desenho do estudo), gerando a elaboração de 17 perguntas estruturadas, de acordo com os períodos pré-operatório, intraoperatório e pós-operatório (imediato, mediato e tardio).  

Após as perguntas, uma empresa especializada na prestação de serviços de conhecimento científico aplicados à saúde foi associada à equipe para a busca e organização da base de publicações científicas necessárias para a elaboração das declarações. A busca sistemática foi realizada nas bases de dados eletrônicas PubMed/Medline, Scopus, Lilacs e Cinahl, assim como uma busca manual das diretrizes e documentos mais recentes das principais associações de estomaterapia do mundo. Foi realizada também uma busca adicional nas três principais revistas especializadas no assunto: Brazilian Journal Enterostomal Therapy – Revista Estima, Journal of Wound, Ostomy, and Continence Nurses Society (JWOCN) e Jornal of World Council of Enterostomal Therapists (JWCET).  

A avaliação e síntese qualitativa dos estudos incluídos com base no nível de evidência (NE) e grau de recomendação (GR) foi realizada de acordo com a Oxford Centre Evidence-Based Medicine. Das 39.124 publicações encontradas, 233 atenderam às perguntas estabelecidas no estudo.  

Em seguida, dois profissionais estomaterapeutas, titulados pela SOBEST e com experiência em assistência, clínica e pesquisa em estomia, construíram as declarações de consenso. Para cada conclusão evidenciada na literatura, foi construída uma declaração, que somaram inicialmente 209 entre todas as categorias do documento, tendo sido revisadas pelos organizadores do consenso. Após processo de consenso entre os juízes, sete declarações foram excluídas e três novas foram construídas, totalizando 205 que, após revisão técnica, foram reordenadas em 200.  

Para a validação de conteúdo das declarações de consenso, dez juízes de todo Brasil, considerados experts na área, envolvidos diretamente no ensino, assistência clínica e/ou pesquisa envolvendo pessoas com estomias foram convidados. Utilizando a técnica de Delphi, a qual permite que um grupo de especialistas, a partir das suas experiências em determinado tema, dialoguem e construam um consenso de opiniões consistentes em relação a um determinado assunto a ser estudado, foram realizadas sete reuniões virtuais para a votação de “concordo” ou “não concordo” para cada declaração de consenso construída em cada categoria, necessitando 100% de concordância. Ao final, foi produzido um relatório com o número de declarações consensuadas por categoria e o número de rodadas realizadas para a concordância entre os juízes.  

Por fim, a revisão técnica contou com a colaboração da Prof.ª Vera Lúcia Conceição de Gouveia Santos, da Universidade de São Paulo, profissional com experiência no ensino, assistência e pesquisa na área de estomias e com reconhecimento científico nacional e internacional.

Informações para a imprensa

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.