Médica é denunciada por prescrever kit covid

Médica é denunciada por prescrever kit covid

O caso aconteceu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), na cidade de Itanhaém no litoral de São Paulo.

Uma paciente, idosa de 71 anos, denunciou o seu atendimento realizado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na cidade de Itanhaém no litoral de São Paulo. A idosa, que prefere não se identificar, denunciou o atendimento da médica porque ela receitou o kit Covid sem o resultado do teste da doença.

A paciente relata na denúncia que a médica prescreveu os medicamentos do kit covid, prescritos sem comprovação científica de eficácia, e disse que a médica falou que a CoronaVac é “a pior de todas as vacinas contra o vírus“.

Segundo a idosa, ela começou a apresentar os sintomas gripais na última quarta-feira (19). Ela conta ainda que tomou medicação que tinha em casa para a dor e febre que logo após isso foi dormir. No outro dia, ela amanheceu pior, foi no posto perto de sua casa, mas a médica falou que não podia fazer o teste de covid, porque ela não tinha completado 24 horas após o início dos sintomas. Daí, a médica prescreveu remédio para dor e febre e vitamina C.

A idosa não apresentou melhoras e por conta disso, ela procurou o atendimento na UPA no bairro Sabaúna, na segunda-feira. Ela relata que cheguou lá mais ou menos 13h30, e saiu por volta das 19h. Diz que passou primeiro com uma médica, que disse que ela já poderia fazer o teste e a encaminhou para o exame. Quando voltou, já tinha mudado o plantão e agora era outra médica.

As pessoas começaram a reclamar que ela é antivacina e passa o ‘kit Covid’ para todo mundo. Já fiquei assustada“, relata a idosa.

Durante a consulta, a médica disse para a paciente que não adiantava nada esperar o resultado, e que era melhor já começar a medicação logo, e prescreveu os remédios sem informar nada sobre os medicamentos.

Sem saber que a médica havia receituado o kit Covid, a idosa ainda foi questionada por ela sobre qual imunizante teria tomado. “Eu falei que tomei as três doses de CoronaVac, e ela falou que essa era a pior de todas, que estava dando pneumonia nas pessoas”.

A Secretaria de Saúde de Itanhaém afirmou que recebeu denúncias e realizou a abertura de uma sindicância para apurar os fatos contra a servidora, que é concursada e já possui outra sindicância contra ela em andamento

Ainda de acordo com a secretaria, após a abertura desta nova apuração, os fatos narrados serão encaminhados para investigação de possíveis responsabilidades, além de envio para a comissão de ética. A administração salientou que estarão resguardados o amplo direito de defesa e contraditório da servidora.

Com informações do G1.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.